Meditação – Novo exercício entre executivos

Estudos mostram que a meditação pode melhorar as decisões de negócios e salvar empresas de erros caros de investimento.

Alguns CEOs como Rupert Murdoch (News Corp); Bill Ford (Ford Motor Company); Rick Goings (Tupperware); e Marc Benioff (Salesforce.com) estão não só praticando como também fazendo propaganda dos benefícios da meditação. Esse exercício vem ajudando a acalmar o diálogo/ pensamentos torrenciais que passam pela mente e contribuem para a dispersão e stress. A meditação ajuda a aumentar o foco e aquieta a mente, gerando uma sensação de bem estar. Mas professores do Insead descobriram através de dados empíricos que a meditação traz mais benefícios que o aumento de bem estar; apenas 15 minutos de meditação pode ajudar as pessoas a tomarem decisões mais lucrativas e melhores, por aumentarem a resistência à tendência de manter investimentos.

meditation

A tendência a manter investimentos é reconhecida como uma das tendências cognitivas mais destrutivas que afetam as empresas atualmente. De forma simples, é a tendência de continuar um projeto/ empreitada uma vez que o investimento tenha sido feito, para assim tentar recuperar ou justificar custos irrecuperáveis. O fenômeno não é novo; psicólogos estudam a escalação do comprometimento desde meados da década de 70; essa tendência a manter o investimento consegue distorcer o pensamento racional e prejudicar a tomada de decisão efetiva. Quase sempre é um fenômeno subconsciente, que pode representar investimentos altos em projetos não por serem bons investimentos, mas por já terem sido investidos milhões nesses projetos.

Como evitar a armadilha?

Essa armadilha mental pode ser evitada por técnicas de meditação, conforme o artigo Debiasing the Mind Through Meditation: Mindfulness and the Sunk Cost Bias de Andrew Hafenbrack,  PhD em Comportamento Organizacional do INSEAD,  Zoe Kinias, Professora Assistente de Comportamento Organizacional do INSEAD e Professor Joseph Frank Bernstein da Wharton School. A pesquisa deles mostra que apenas 15 minutos de meditação de mindfulness – por exemplo, concentrar-se na respiração ou fazer um escaneamento corporal – ajuda a aumentar a resistência a esse problemático processo decisório, e abre caminho para um pensamento mais racional.

Hafenbrack comenta que  “Pesquisas anteriores mostram que quanto mais investimos em algo (financeiramente, emocionalmente, ou outros tipos de investimento), mais difícil é abrir mão daquele investimento e mais inclinados ficamos a escalar o comprometimento com aquilo. Em muitos casos emoções negativas tais como medo, ansiedade, arrependimento ou mesmo culpa ou preocupação a respeito de decisões passadas tomam parte no processo de decisão.”

Um exemplo muito citado é o das campanhas militares dos EUA no Vietnã na década de 60, e mais recentemente no Oriente Médio, quando o número crescente de mortes tornou mais difícil para o governo americano a retirada da região. Nos negócios, empresas se tornam vítimas dessa tendência quando têm que tomar decisões de injetar dinheiro num produto depois de terem sido pegas por um concorrente, ou continuar um investimento quando os custos vão às alturas, muito além das estimativas iniciais. Às vezes trata-se simplesmente de um produto que não vende tão bem quanto se esperava… A tendência de se manter um investimento pode ser agravada por antecipação de arrependimento, que é o resultado de se pensar demais sobre o que pode ou não ocorrer no futuro.

Tornando-se mais resistente

O aumento da Resistência é resultado de processos temporal e emocional. Imagens do cérebro em atividade mostram que o estado natural da mente é ficar pulando entre ideias, mudando do passado para o future e o presente em segundos. O processo de meditação de mindfulness, ao focar no presente, aquieta esse processo mental errante, diminuendo sentimentos negativos que distorcem o pensamento e, portanto, criando resistência a manter investimentos (negativos).

Na pesquisa do INSEAD, após 15 minutos de meditação, apenas 22% do grupo manteve o investimento (negativo); enquanto que o grupo controle, que replicou o processo mental natural teve um resultado de mais de 50% do grupo manter esse tipo de investimento.  Isso sugere que as pessoas podem fazer melhores escolhas no presente se conseguirem abrir mão do investimento negativo do passado.

Pontos-chave:

A) Ficar pensando excessivamente no passado ou em especulações sobre o futuro podem tornar suas decisões mais emocionais e podem também aumentar as tendências a manter investimentos cujos resultados não estão atendendo expectativas.

B) Respirar, prestando atenção no processo de respiração por apenas 15 minutos, pode trazer serenidade e foco no presente, ajudando talvez numa avaliação mais próxima à realidade e, portanto uma decisão mais fundamentada.

C) Às vezes precisamos admitir que nem sempre as coisas saem como o esperado, sem precisarmos nos perder em estratégias para justificar esses resultados.

Exercícios de Meditação segundo a Antroposofia:

Passos sugeridos:

1. A preparação ou o treino para a meditação

A) Ter um  local adequado
  seu templo caseiro
•  criar o seu ritual

B) Definir um horário adequado.
O melhor horário é pela manhã ou 2 vezes ao longo do dia.

C) Regularidade: diária, criar um hábito.

D) Iniciar, buscando a calma interior: sentar-se de forma ereta, concentrar-se na respiração, fechar os olhos ou não. Ver o que te deixa mais centrado / consciente.

2. Exercícios Diários (Colaterais)

Esses são chamados exercícios colaterais por que nos protegem ao longo do caminho meditativo.

2.1 Concentração
A) Objetivos:
  Voltar a atenção para o seu próprio pensamento.
  Interromper o fluxo de pensamentos.
“Esvaziar a mente”.
“Não existe meditação sem o poder de concentração”.

B) O que fazer? Exemplos:
  Escolher uma imagem ou um objeto e colocá-lo no centro do pensamento. Ex.: O que é um alfinete? Do que é feito? O que se pode fazer com ele? Qual é a sua natureza física? Como é produzido? Que outras perguntas podem ser feitas sobre o objeto, sem derivar?
  Escolher um “mantra” Ex.: “A Sabedoria vive na luz”
  Escolher uma palavra aleatoriamente
  Uma ou duas vezes por dia, durante 5 minutos reter algo (uma imagem, uma palavra) na mente sem interferência de nenhum pensamento externo.
  Praticar durante: 30 dias

C) Efeitos:
  Desenvolve um pensar claro.
  Desenvolve uma força interior nova. “Eu só faço aquilo que eu quero fazer, isto é, com liberdade interior”.
  Nos prepara para a expansão da consciência.

2.2 Controle dos Pensamentos
•  Prestar atenção na sequência dos pensamentos.
  Evitar pensamentos ilógicos.

Efeitos:
  Desenvolve o pensar claro, a fala certa e a opinião certa.
  Praticar durante 30 dias, após o primeiro exercício.

2.3 Controle da Vontade
  Executar um ato qualquer que jamais executaríamos normalmente a uma determinada hora do dia.
  Algo que não tem nenhum sentido para o mundo exterior. Ex.: mudar o relógio de um pulso para o outro, amarrar e desamarrar o sapato, mudar algo de um bolso para o outro, etc …
  Eu posso pensar em levantar o meu braço. Mas o braço só se levantaria quando a minha vontade age.
  Praticar durante 30 dias, após o exercício anterior.

Efeitos:
  Aprendemos que tudo que fazemos depende de algo impulsionado por algo externo. Que o nosso “eu é fraco”
  Evitar desarmonia no agir.
  Percepção do efeito dos nossos atos
  Desenvolve a força do pensamento e da vontade
  Desenvolve a ação certa

2.4 Controle dos Sentimentos / Serenidade
  Refletir sobre os sentimentos de antipatia e simpatia que nos tomam
  Não se deixar levar por antipatias / simpatias
  Estar acima do bem e do mal em toda e qualquer situação
  Todo sentimento interior se manifesta no exterior de forma direta ou sutil (Ex.: na voz, no olhar, gestos, lágrima, choro, etc …)
  Praticar durante 30 dias, após o exercício anterior

Efeitos:
  Libertar-se da antipatia-simpatia
  Tornarmos donos do nosso sentimento
  Desenvolve a perseverança

2.6 Imparcialidade
  Aceitar opiniões contrárias
  Ter fé nas situações
  Não ter medo
  Evitar postura crítica
  Aceitar o novo, o que não entende
  Praticar durante 30 dias

Efeitos:
  Não ver as coisas sob um mesmo ângulo
  Libertar-nos da ditadura das experiências do passado
  Desenvolver o “espírito da criança” de pureza
  Desenvolve o juízo certo

2.7 Integrar os 6 exercícios anteriores
Efeitos gerais:
  Desenvolve “a presença de espírito”
  O fortalecimento do caráter
   A serenidade
  A objetividade para as coisas da vida
  O genuíno interesse
  A compreensão para fatos novos
  A capacidade de concentração
  Segurança interior para se atingir novos níveis de consciência
  A “opinião certa”
  O juízo certo
  A palavra certa
  Perseverança
  Paralisa ou neutraliza as influências maléficas
  A habilidade para falar para o coração e não para o intelecto das pessoas
  Nos tornarmos conscientemente donos dos nossos pensamentos, sentimentos e da nossa vontade
  Harmonia e paz interior

IV.  Recomendação
1. Criar seus momentos de retiro interior
2. Fazer o exercício de concentração diariamente
3. Fazer os exercícios de meditação diariamente, um mês cada um
4. Incorporar esses exercícios como um hábito
5. Fazer os exercícios como compromisso pessoal “sem se” afetar ou afetar as pessoas com quem convive”. Ninguém precisa saber dos seus compromissos de auto desenvolvimento”

Bibliografia Consultada:

Los pilares Del autodesenvolvimiento – Manfred S. Brabant – Editora Pau de Damasc – Barcelona
La Meditacion como Sendero del conocimiento – Walter Büller – Editora Pau de Damasc – Barcelona
Aproximación a los ejecicios preliminares – R. Steiner – Ernst Kotz – Editora Pau de Damasc – Barcelona

Leave a Reply

Your email address will not be published.